Turks and Caicos – Tudo o que você precisa saber

As Ilhas Turks and Caicos é o destino perfeito para todos que querem descansar, se emocionar com o turquesômetro do mar e ter a oportunidade de conhecer a praia mais linda do mundo, a Grace Bay.

Nesse ano tivemos a oportunidade de ir para lá, Dani novamente e eu pela primeira vez. Como o Dani foi à trabalho, não tivemos todo o tempo para explorar a cidade, apenas conseguimos fazer alguns passeios nos finais de semana e durante a semana dei umas saídinhas para conhecer os arredores, lojinhas e resorts vizinhos – mais especificamente, os bares hehe.

Onde fica

O conjunto de ilhas de Turks and Caicos ou Turcos faz parte do Reino Unido, ainda que se localize no mar do Caribe – fica próximo das ilhas de Cuba, Haiti e Bahamas . É formada por 40 ilhas, mas não são todas que são habitadas, apenas nove. Das ilhas mais turísticas são Providenciales, Grand Turk, East Caicos, South Caicos, North Caicos e Middle Caicos e outras aos redores que também são lindas.

Ao todo, são quase 32 mil habitantes, sendo que 27 mil moram na Ilha de Providenciales.

O que preciso saber

A língua predominante é o Inglês e alguns moradores falam em Crioulo. A população tem a etnia mista (61%) – africana com europeia – e 34% da população é de ascendência africana. Os nativos tem uma energia incrível – são muito simpáticos e alegres, o que torna a experiência ainda mais vibrante e agradável.

Futos do mar é o foco da gastronomia local, especialmente as famosas conch fritas e salada de conch – que são os pratos principais por lá. A moeda usada é o dólar, então sim, é um lugar carinho, pelo menos para gente foi haha.
Grande parte dos turistas são americanos e canadenses que vão para aproveitar suas férias nessa ilha paradisíaca.

Curiosidades:
– A voltagem é 120v e as tomadas são tipo A e B – levem tomada universal.
– Mercados não vendem bebidas alcoolicas aos domingos (apenas restaurantes e bares). Então se quiser, abasteça a geladeira antes.
– Você pode consumir nos restaurantes e bares dos resorts vizinhos.
– A água do mar é bem quentinha, varia de 26ºC a 29ºC.
– Não gosta de reptlianos (Geckos e Iguanas)? – Vai se acostumando hahaha porque eles estão por tudo.

Quais documentos preciso

É obrigatório viajar com o passaporte, já o visto não é necessário para terras européias. Massss, como há escalas na América do Norte, sim, você irá precisar do visto.

Lembrando que para dirigir por lá você não precisa de carteira de motorista internacional.

Eles não exigem nenhum tipo de vacina, mas é sempre bom dar uma conferida antes de você ir – vá que aconteça alguma alteração.

E não esqueçam de fazer o Seguro Viagem – vale lembrar que algumas bandeiras/bancos te dão o seguro viagem desde que você compre as passagens com o cartão de crédito.

Quanto custa e como chego

Saímos de Florianópolis para São Paulo (Latam) – São Paulo para Miami (American) – Miami para Providenciales (American Airlines). E voltamos com as mesmas linhas aéreas e gostamos bastante, apesar da Latam só oferecer snacks de comida – o que é triste.

Àqueles que farão escala em algum aeroporto internacional do Brasil antes de ir para a América do Norte, fiquem preparados, porque sua viagem durará entre 14 e 33 horas dependende da sua origem e também claro, se irá comprar passagens mais caras e mais rápidas, ou optar por mais baratas e mais longas. Nossa passagem ida e volta por pessoa custou R$3.270,00 com as taxas inclusas (25 hrs de viagem). Mas digo que os preços variam muito durante o ano, a partir de 2 mil reais, então não consigo passar um valor exato.

Fiquem de olho no Skycanner , recomendo bastante para aqueles que querem estar por dentro de descontos, é só colocar a data e o destino no app, criar um alerta e irá receber as notificações quando as tarifas baixarem.

Saindo do Brasil para chegar em Turks, você fará conexão de todo jeito pelo EUA, seja em Miami ou New York (a duração do voo dependerá de sua origem). Já de NY o voo dura em média 3h30 e de Miami cerca de 1h40 para chegar ao destino.
É importantíssimo que você fique atento quando comprar sua passagem, para que seja o aeroporto mais próximo da sua hospedagem, já que os aeroportos em Turks and Caicos ficam localizados em ilhas diferentes, como em Providenciales, Grand Turk, Salt Cay e South Caicos.

E se possível escolha o lugar na janela do avião pra você apreciar o marzão lá de cima.

Quando ir/Clima

Muitos sabem que algumas Ilhas do Caribe tem chances de serem atingidas por furacões, e Turks and Caicos está dentre elas.
A temporada de furacões inicia em Julho e termina em Novembro, com mais chances na segunda quinzena de Agosto até Setembro. Mas não fiquem espantados, não é porque é temporada de furacões que irá acontecer um.
A chance de você viajar e acontecer é muito pequena, até porque não são todos os anos que acontecem os furacões, na maioria das vezes eles passam só pelo mar e há possibilidades de saber se está se formando algum (assim, conseguimos nos preparar ou até mesmo cancelar a viagem para não correr perigo).

Nós marcamos para ir no mês de Outubro e quase desisti de viajar com o Dani quando soube que era temporada de furacões – mesmo sabendo que as maiores chances são até Setembro. Só fiquei mais tranquila quando soube que a família do chefe do Dani falou que eles sempre estão por lá nessa época do ano.
Então criei coragem e decidir ir, e foi muito bom ter enfrentado essa inseguraça porque valeu muito a pena. Foi uma viagem muito tranquila, pegamos todos os dias de sol com algumas chuvinhas nos fins da tarde, mas nada de temporais (além de uma ventania em uma das noites). Mas, se você mesmo assim fica meio grilado – como eu fiquei – a melhor época é ir entre Dezembro e Maio.

O clima é tropical e há pequenas variações entre o ano, sempre varia em torno de 23ºC a 31ºC.
Saiba que a Ilha de Turks and Caicos é a mais seca da região, chove de Setembro a Novembro (e olhe lá, porque não pegamos chuva durante o dia) – o único ruim é que o mar pode ficar mais agitado e você pode encontrar algumas algas pelas praias, o que acaba escurecendo as águas. Para não correr esse risco, vá nos meses mais secos são entre Janeiro e Maio.

Resumindo: Viajamos no dia 10 de Outubro, aproveitamos bem o clima com bastante sol e pouquissimas chuvas. O único probleminha foi quando fomos para o North Caicos e não pudemos entrar no mar por causa da grande quantidade de algas e pelo mar agitado, o que impossibilitou da gente ver o azulzão turquesa em algumas praias – conversamos com os nativos e falaram que nessa época é muito comum disso acontecer.

Onde me hospedar

Como falei no ínicio do post, não são todas as ilhas que são habitadas. Providenciales é a mais habitada e mais visitada pelos turistas. Ficamos hospedados em Providenciales na praia de Grace Bay, no apart hotel do chef do Dani – nesse link você pode dar uma olhada nos valores para alugar.

Ficar nessa região e em Grand Turk são as melhores opções para quem quer ver mais gente hahaha porque o restante das ilhas tem pouquíssimos moradores – Agora se você quer sossego e ficar em ilhas mais desertas, pode optar por ficar nas Ilhas de Parrot Cay e South Caicos (que tem diversas acomodações, do luxo ao simples) e North Caicos (com poucas opções de hospedagem).

Em Turks and Caicos os resorts e hotéis tem preços salgados, mas pelo Aibnb você consegue alugar com um grupo de amigos para baratear ou pegar um quarto de hotel mais em conta.
Eu fiz uma lista no Airbnb e clicando aqui você pode ver as opções mais econômicas para sua hospedagem – fiquem atentos na localização.

Como me locomover

É uma ilha pequena e com várias praias lindas espalhadas por todos os cantos, então o jeitinho mais fácil e econômico, sem dúvida, é baixar o mapa offline (aqui dou algumas dicas) e andar por lá de carro – até porque os táxis são bem caros.
As ruas são bem sinalizadas, o que fica bem fácil de se locomover. Vale lembra que a rua é mão inglesa, hein?

O que fazer

Praia, praia e praia hehe. Por aqui vou mostrar as ativadades que fizemos e também deixar uma listinha de outros passeios pra vocês não deixarem de fora.

Grace Bay – Providenciales

Ficamos hospedados em Grace Bay, a praia considerada mais bonita do mundo que tem extensão de 10 km. Nessa região, muitos resorts que ficam de frente à praia oferecem várias atividades aquáticas, como snorkel, vela, caiaque, windsurf e por aí vai. Tem também uma parte central com várias lojinhas e restaurantes.

Fizemos um passeio de barco em grupo (incluso snorkel, almoço e visita a Ilha das Iguanas) – não sei informar quanto foi, porque ganhamos. Mas, você pode dar uma conferida por aqui em alguns passeios de barco. Garanto que é  uma experiência incrível e linda em poder mergulhar com peixinhos e até mesmo ver alguns tubarões filhotes no fundo do mar.

Snorkel
Ilha das Iguanas

Depois de uma trilha de poucos minutos sobre uma passarela de madeira, onde econtramos várias iguanas curiosas e pedintes de comida, fomos até o outro lado da Ilha se jogar na água quentinha.

Voltamos para o barco, almoçamos salada de conch, hamburguers e lagosta e em seguida fizemos o retorno para Grace Bay – com direito a paradinha no mar para uns pulos na água.

“Centrinho” de Providenciales

Você pode ir de bike ou a pé para conhecer a parte da cidade com diversas lojinhas, bares, cafés e restaurantes.

Passeio com dogs

Pegamos uma manhã para ir até The Salt Mills, um shopping a céu aberto, mais exatamente no Potcake, um espaço de resgate e adoção de cães – lá você pode roubar por uns minutinhos um dog pra passear – os funcionários te fornecem água, biscoitinhos e brinquedo para levar junto. Nosso dog era um fofo, pena que tinha muita preguiça de andar, então no caso, tivemos que passear com ele no colo hahaha.

North Caicos e Middle Caicos

Em nosso último final de semana na Ilha, fomos conhecer North e Middle Caicos, ilhas próximas de Providenciales. Eu, Dani e mais 7 pessoas acordamos antes do amanhecer e fomos até Caribbean Cruisin, pegar o barco para chegar até a Ilha North Caicos – o valor por pessoa saiu por 50 dólares ida e volta – achei o preço beeeem caro, ainda mais por não ser na alta temporada. Já na Ilha pegamos a van que alugamos, saiu por pessoa uns 13 dólares.

Este é um passeio recomendado para fazer em um dia inteiro. O interessante é chegar bem cedo para aproveitar bem.

Indian Cave

Saimos da Ilha North Caicos em direção a Middle Caicos. Nossa primeira parada foi na Indian Cave, uma das cavernas secas de Turcos e Caicos, é um lugarzinho lindo com claraboias naturais e raizes. Mas não se esqueça de tomar um banho de repelente, porque tivemos que sair correndo pra não sermos levados pelos mosquitos, juro hahaha.

Middle Caicos é vizinha de North Caicos, divididas apenas por uma estrada. Tem em torno de 275 habitantes, com pouquíssima infra estrutura. É conhecida por suas praias retiradas e cavernas históricas.

Conch Bar Caves National Park

Outra caverna famosa é a Conch Bar Caves, a mais seca das cavernas da cadeia das ilhas de Bahamas. Há séculos atrás, ela foi habitada pelos pré-colombianos para abrigo de furacões e cerimonias. Diferente da Indian Cave que é de graça para visitar, no Conch Bar tem uma taxa de 20 dólares com tour guiado.

Abre de Segunda a Sexta das 9h30 – 15h. Sábado e Domingo pode ser agendada uma visita através do número (649) 247 – 3157.

Mudjin Harbor

Masss como fomos no domingo e não pegamos a caverna aberta, decidimos ir à alguma praia se jogar na água, e a primeira que encontramos foi a Mudjin Harbor, considerada a atração da região. Mas não entramos porque o mar estava agitado e com algas, apenas tiramos algumas fotos e apreciamos o visual do mirante – que é de babar.

Aldeia Whitby em North Caicos

Seguimos para North Caicos em busca de mais águas turquesas. No caminho encontramos o Pelican Beach Hotel que estava totalmente vazio (por não estar na temporada), mas que tinha a vista para praia maravilhosaaaa. Nos acomodamos por ali. Preparamos nossos sanduíches no bar do hotel, até que chegou o dono – já começamos a arrumar tudo para ir embora, mas ele chegou, se sentou e ficamos papeando, pedimos algumas cervejas, preparamos uma caipirinha de cerveja pra ele e conversamos sobre o região. Foi aí que ele nos contou que Bruce Willis já esteve por ali e que nessa época aparecem muitas algas na praia que vão até Novembro, e por isso não são tão clarinhas como são normalmente.

Decidimos ficar por ali mesmo, descansamos, catamos conch para levar para casa e até conseguimos dar uma dormidinha nas esteiras de praia do hotel.

Fish Fry Market

Se quer diversão, ouvir música, dançar, comer comidas típicas, beber uma boa cerveja e comprar lembrancinhas é no no The Bight Park todas as quintas feiras das 17h30 as 21h30.

Fish Fry é um evento local em que muitos turistas e nativos se encontram para festejar, sendo que tem uma apresentação linda tradicional de lá. E você também encontra a bebida tradicional Rum Punch, peixes frescos, lagosta grelhada e conch. A entrada é gratuíta e a diversão é garantida.

Onde comer

Comer por Turks and Caicos não é nada barato, então fizemos maior parte das nossas refeições no hotel. Então são poucos lugares que listei abaixo mas que valem a pena ir.

Turk Berry

Fica localizado no The Salt Mills de frente para a rua principal. Tem muitas opções de doces e o sorvete da foto que eu tomei é maravilhosoooo.

Conch Shack 

Vá para experimentar a conch frita. O lugar é muito casa de boneca e fica exatamente na praia – assista ao pôr do sol que é lindo demais.

Dentro dos Resorts

Em Grace Bay você pode frequentar os restaurantes e bares dos resorts sem estar hospedado.

West Ocean Club – Parceiro do hotel em que ficamos hospedados, tem ótimas opções de lunch e jantar.

 Seven Stars Resort & Spa – Tem um delicioso Craft Pops, uma bebida maravilhosa alcoólica que vem com picolé.

Coco bistro

Para a despedida da viagem fomos ao coco bistro. Lugar mágico e com a comida sensacional.

 

 

Então é isso aí viajantes, espero que essas dicas possam ajudar vocês!!