Trilogia na Nova Zelândia – Conheça Hobbiton, a Cultura Maori e os Glowworms

Há cerca de 2 horas de distância de Auckland você pode aproveitar um final de semana e fazer uma ‘Trilogia’ conhecendo Hobbiton, Te Puia e a Glowworm Caves em uma só viagem.

Então, tire um tempinho e leia sobre esses lugares incríveis que o norte da Nova Zelândia tem à oferecer.

O trajeto

Nós preferimos alugar um carro e pegar a estrada – até porque o caminho para lá tem muitas paisagens lindas. Levamos cerca de 2h30 para chegar na primeira cidade que foi Matamata e em seguida mais 1h para chegar em Rotorua. No dia seguinte seguimos para Waitamo – com algumas paradas alternativas pelo caminho, o que deu em torno de 3h na estrada. Depois, voltamos para Auckland o que deu mais 2h30.

Detalhe importante, a pessoa que vai dirigir vai ter que gostar muito de fazer isso, porque é chão hehe.
Primeiro dia de viagem foram 3h30 de estrada e no segundo dia 5h30 contando com algumas paradas pelo caminho. 

  • Valor do aluguel do carro para dois dias: +- R$209,00.
  • Valor do combustível: +- R$70,00.

Hospedagem

Ficamos hospedados em uma casa de família em Rotorua. Como estávamos em dois casais, alugamos os dois quartos da casa. O valor por casal foi de +- R$155,00.

Dois quartinhos muito fofos, a família muito querida, a cama super confortável e tem uma cozinha bem completinha na área da garagem. Para quem for para lá, indico de olhos fechados.

Clique aqui e veja mais fotos da casa.

Tickets

Nós compramos pelo site oficial do Hobbiton. Clicando aqui você irá direto para a página da Trilogia.

O que está incluso no pacote:

  • 2 horas no Hobbiton Movie Set em Matamata.
  • 4,5 horas na aldeia Te Puia em Rotorua.
  • 45 minutos no Glowworm Caves em Waitomo.
  • 2 horas no Ruakuri Cave em Waitomo.

Valores:

  • Adulto +- R$906,00.
  • Criança +- R$423,00.

Roteiro

1º dia – Matamata e Rotorua

Hobbiton Movie Set

Nossa primeiro destino foi para o Hobbiton Movie Set, chegamos com 30 minutos de antecedência para retirar os tickets e tomar um café no local.

No dia em que fomos estava chovendo – mas eles fazem mesmo com chuva e fornecem guarda-chuvas. O bom é ver a previsão do tempo antes de comprar o passeio.

O tour é acompanhado com guia e o terreno é bastante irregular, então vá com um sapato confortável e tenha cuidado, principalmente em dias de chuva que fica enlamaçado e escorregadio.

Clicando qui você pode ver mais detalhes de Hobbiton, o set de gravação do Senhor dos Anéis e Hobbit.

Te Puia

Saímos de Matamata e fomos para Rotorua conhecer a tribo Te Puia, por lá aprendemos mais sobre a cultura Maori, vimos o vale geotermal de Te Whakarewarewa e o Geyser Pōhutu, além de ter visto as principais esculturas e tecelões dos Maoris e mergulhado na linda história dos seus antepassados.

Já na parte da noite assistimos uma cerimônia tradicional de boas-vindas e depois tivemos uma janta com um banquete enormeee e delicioso – o legal é que algumas das comidas foram cozidas à vapor por pedras quentes na terra.

Para finalizar ouvimos dois Maoris que trabalham como voluntários no Te Puia, cantando em frente ao Geyser Pōhutu enquanto tomávamos um chocolate quente.

2º dia – Rotorua e Waitomo

Government Gardens

No dia seguinte acordamos cedo e resolvemos dar uma volta por Rotorua, gente, pensa numa cidade que fede a enxofre hahaha é muito ruim. Muitos lugares da cidade tem geyseres, você olha para os parque e tem várias fumacinhas aparecendo. Até em alguns muros de casa a gente viu o enxofre corroendo a madeira, fiquei chocada.

Especificamente, fomos para o Government Gardens que é um parque da cidade muito lindo, com um museu, fumacinhas fedidas e um jardim repleto de rosas.

Blue Spring

Em seguida fomos em direção à Waitamo, à caminho do Glowworm Caves, mas antes, fizemos uma paradinha no caminho para conhecer o Blue Spring em Putaruru, uma trilha que vai costeando um rio azulão, coisa mais linda.

Glowworm Cave

Pronto, chegamos em Waitomo para finalmente conhecer os Glowworms – aqueles bichinhos brilhosos que vivem dentro das cavernas. O brilho que eles produzem é no estágio que ainda são larvas, essa luz é para atrair insetos que acabam grudados em suas teias e servem de alimento para eles. Já quando viram insetos, eles perdem o brilho.

Andamos por dentro da caverna e depois navegamos em um barquinho pelo escuro total que só se conseguia ver o brilho dos Glowworms. Foi uma experiência linda, me lembrei de quando era criança e tinha colado no teto do quarto aquelas estrelas em neon. Só fiquei chateada que não podia fotografar, então vou colocar uma foto profissional pra vocês conhecerem.

 (Photo by MarcelStrelow/Getty Images)
(Photo by MarcelStrelow/Getty Images)

Ruakuri Cave

Em seguida fomos para a caverna Rukuari, fizemos um tour guiado de 2 horas muito bacana, a caverna é muito bonita. E lá, a gente pôde ver bem de pertinho os Glowworms e tirar fotos.

Na imagem abaixo você pode observar a teia gosmenta que eles produzem, e mais atrás na foto você consegue ver um pouco do brilho que eles produzem. São bem nojentinhos na luz, são só lindos no escuro mesmo haha

Somos proibidos de tocar na caverna, até porque se fizer isso você pode atrapalhar todo o desenvolvimento e crescimento das rochas. Ficamos sabendo que para cada 1 centímetro de cálcio, são cerca de 100 anos para crescer.

Esse foi o nosso final de semana na parte norte da Ilha, aproveitamos de monte as paisagens e curiosidades que só a Nova Zelândia têm a oferecer.

 

 

 

 

 

 

Você talvez gostaria de

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *